Hilda, a pin-up gordinha de Duane Bryers


O mundo mágico das pin-ups e cultura vintage é algo tão amplo, que eu poderia criar uma tese, a de que muitas mulheres possuem uma pin-up interior! Mas você leitora, que sabe do legado das pin-ups questiona:  “Elas são lindas, perfeitas, eu não”. Eu volto e digo, sim a gosto para tudo e Duane Bryers é a prova disso. No final dos anos 50, início dos 60 e lá estão elas, as famosas garotas do calendário em todos os lugares possíveis, principalmente no imaginário masculino. E com elas a beleza e comportamento social da época mais importante que marcou o legado da beleza feminina. Em tempos onde grandes ilustradores desenhavam o padrão de beleza da época que eram mulheres curvilíneas de cintura fina e delicadas,  uma mulher de manequim 52 seria no mínimo...estranho!

***

  



 


 

Muitas pessoas possuem uma visão distorcida e acham que o padrão de beleza pin-up só diz respeito às mulheres magras, quando na verdade em uma pin-up a pura mágica está em suas curvas e não é um corpo reto, chapado e extremamente magro. E para provar isso apresento aos que não conhecem e também para os mais íntimos a primeira e única Pin-up Plus Size, personagem da imaginação de Duane Bryers. Personagem esse de peso, fofura e muito charme alias!




 

Duane Bryers assim como muitos, era um ilustrador Norte-Americano bastante conhecido na época como um excelente pintor de técnicas singulares. Nascido em  1911 em Michigan, ele está na mesma prateleira que muitos outros grandes de sua época, porém com um diferencial que a todos chamou a atenção tanto que chegou a ganhar um concurso de cartazes do Museu de Arte Moderna em Nova York sendo um pintor talentoso e bem sucedido. No final dos anos 50 o notável Bryers criou uma pin-up.  Até aí tudo bem, muitos na época faziam o mesmo, mas ele decidiu que para ele as curvas de uma mulher perfeita deveriam ser um tanto avantajadas. Foi ai que surgiu a divertida e gorducha Hilda de Duane Bryes criada em 1958.



Hilda sempre fazendo tarefas do lar ou fazendo gordice, rs
A diferença de Hilda para outras pin-ups comuns de sua época não está só no tamanho do manequim. Enquanto as ilustrações eram popularmente urbanas, ou seja, a maioria das ilustrações retratavam mulheres no cidade, em atividades típicas de uma metrópolis como no trabalho, no shopping, etc. A Hilda possuía como cenário um ambiente rural, de fazenda que lembrava em muito uma aconchegante casa de campo com animais em todos os lugares. Hilda não seria apenas mais uma ilustração de calendário e sim um personagem que vivia diferentes histórias, perigos e situações cômicas o que a tornavam ao mesmo tempo engraçada e sensual enquanto praticava tarefas domésticas ou fazia algo para se divertir. Ao meu ver essas são características únicas e marcantes nessa personagem fofa e atrapalhada. A arte de Bryers possui algumas influências das cheesecake da época, ele usava tons claros e pinceladas delicadas para criar o mundo de Hilda e até mesmo utilizava guache para pintá-la.

Fofinha e desajeitada, rsrs

Sempre em perigo e situações engraçadas

 

Hilda sempre foi retratada em momentos de lazer!

As ilustrações provam isso, uma Hilda acidentalmente sexy e exageradamente grande e ainda assim graciosa e linda. Sendo assim Bryers foi um controverso das pin-ups, mostrou para o mundo que uma mulher de curvas grandes também pode ser linda. Hilda foi um sucesso imediato, sendo veiculada em diversos calendários da época e hoje em dia ainda existem alguns produtos com sua cara e corpo gorduchos, se tornando uma celebridade nos anos 60 de copos à jogos de cartas. Brown & Bigelow eram os editores que veiculavam as imagens dela mundo a fora e para piorar além de competir com as lindas mulheres esbeltas, Hilda ainda tinha ilustrações inspiradas de outros artistas, adaptadas a sua situação e peso como as famosas pin-ups de Gil Elvgren.




Com minha experiência de blogueira percebi que a pin-up Hilda é um símbolo forte para as blogueiras que possuem um blog na linha de R.A. (Reeducação Alimentar). Praticamente todas adoram a Hilda por seu porte físico, engraçado e único o que a torna um mito. Duane Bryers teria feito aproximadamente mais de 250 pinturas de Hilda, alguns calendários originais sobreviveram ao tempo mas é uma raridade encontrar algum. por aí. Existem alguns sites que vendem calendários originais da época. Em 2002 aos 91 anos  Duane Bryers concedeu uma entrevista para o site toilgirls.com, onde diz:


"É difícil dizer. Quando era mais jovem eu costumava usar a minha filha de celebridade para modelo de Hilda, embora ela era pequena e magra. Eu a usei como um modelo. Um braço é um braço e uma perna é uma perna e tudo que você precisa fazer é adicionar um pouco de gordura."

Fonte: toilgirls.com e dinorahcomaganofim.blogspot.com


É com essa postagem especial que eu desejo a todas à minhas leitoras um ótimo fim de semana. Espero que tenham gostado do post, feito com todo amor e carinho por outra pin-up gordinha, eu. Beijos!!!

Comente com o Facebook:

5 comentários

  1. Ah que coisa linda.. as ilustras são tão vivas que parecem de uma modelo real.. uma graça!
    Realmente, o que mais importa no mundo das pin ups é o bom humor e uma dose considerável de curvas.. =)
    Beijocas^^ bom fds!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns para nosso dia baby

    bjs

    ResponderExcluir
  3. Gente a Hilda é linda e graciosa
    *-*

    ResponderExcluir
  4. que lindooo Pri

    uma inspiração para todas nós, vou bloggar posso?

    kisses girl

    ResponderExcluir
  5. Linda, amo ela, ela é toda comédia e cômica. Amo de paixão.
    beijos amei o blog



    www.worldsdiferentes.blogspot.com

    ResponderExcluir

Blog sobre moda, beleza, livros, artwork, universo vintage/retrô e inspirações diversas de uma eterna nostálgica.

Obrigada pela visita! Deixe sua opinião, dúvidas ou sugestões nos comentários. Responderei todos assim que for possível ♥ XOXO