Filme Burlesque: Minha opinião!


Não sou jornalista, publicitaria muito menos crítica de cinema, mas nem por isso vou deixar de dar minha opinião sobre o filme Burlesque. Todos os meus leitores sabem que admiro a Christina Aguilera que para mim é uma cantora completa. Não me interessam as performers e cantoras comerciais com coreografias de outro mundo. Não vou nem discutir a questão da voz de Aguilera com fãs de outras cantoras. Basta dizer: “E acima do C #” e registro vocal de 4 oitavas e 1 semi-tom (C3 - C#7). A muito tenho tido vontade de falar a respeito do filme de Cher e Aguilera. Assim que fiquei sabendo da noticia do filme postei aqui, mas a falta de tempo nunca me permitiu, por isso vamos ao inicio.

Parceiras!
Cher esta maravilhosa no filme, indiscutível como ela aos longos dos seus sessenta e poucos anos ainda consegue me manter atenta e com os olhos focados nela. Fiquei super feliz e curiosa de ver o resultado de um trabalho com cantoras que admiro e ainda mais sabendo da adoração de Aguilera pela Cher. O tema do filme não poderia ser direcionado a outra cantora da atualidade. Mesmo não sendo uma excelente dançarina eu não conseguiria imaginar um filme desses com cantoras como Katy Perry (So sorry D). O roteiro foi escrito para ela, uma cantora que virou símbolo do “lady Marmalade”, gravou um CD totalmente voltado para o Old School, nos seus 1,58 de altura e biótipo de pin-up.



Na minha opinião o filme deveria ter outro nome e as artistas burlescas vão me dar razão por isso (eu acho). Eu realmente esperava um filme que abordasse o inicio desta arte e pudesse adaptá-lo aos dias de hoje. Mas o próprio roteiro do filme que me lembrou muito “lua de Cristal” da Xuxa, não poderia dar margens para uma história no mínimo... satisfatória. O fato de abordar uma personagem de cidade pequena em busca do sucesso não quer dizer nada, isso é muito manjado. Já sabemos que verdadeiras artistas burlesca dão o sangue por isso. São lágrimas e esforço e acho que merecia uma abordagem verdadeira afinal, vocês artistas burlescas tentam trabalhar de acordo com a real essência dessa arte. O filme em si é bom, não magnífico apenas bom. Foi feito comercialmente para dar certo. Teve diversas críticas e o melhor, calou a boca de muitas pessoas que duvidaram do potencial de Aguilera como atriz. Ela não é ainda uma atriz na minha visão, mas se trabalhar muito poderá fazer melhor do que seu trabalho neste filme. Para um “primeiro filme” muitas cantoras devem ter sentido inveja, logo assim com a Cher de lado e desbancando até o Barbeiro Demoníaco interpretado pelo meu Johnny Depp, puxa!  É incrível ter superado assim tantos outros musicais em termos de bilheteria claro, e sinto muitos fãs de Beyonce, Dreams Girls ficou para trás, honey Bee.

Visual muito semelhante ao Lady Marmalade de 2001


A trilha sonora do filme é ótima e poderia ter sido melhor por um detalhe que contarei no fim do post. O roteiro que vazou na net antes da estréia do filme me deixou super curiosa, mas infelizmente o filme foi outra coisa, óbvio. Comparando com outros musicas como Chicago (2002) e Moulin Rouge (2001) existem algumas semelhanças que eu não poderia ter deixado de notar. Para começar: Três filmes e três cenas de tango. Eu me pergunto, o que aconteceu com o bom e verdadeiro jazz? O Tango de Moulin Rouge foi trágico para mim, já o de Chicago foi bárbaro! Ver todas as assassinas contando suas versões dos fatos foi engraçado e ver Cher cantando “Welcome to Burlesque” sensacional, porém fica estampado a falta de criatividade neste terceiro. A tanto a se explorar e pouco foi usado e nem quero comentar os figurinos antes que me xinguem, mas a peruca da Chris não convenceu. Foram de fato poucos figurinhos durante todo o filme que me agradaram.

Aguilera na única cena burlesca de todo o filme

            Performance de A Guy What Takes His Time

O lado positivo do filme foram as duas atrizes principais. A trilha sonora (parcialmente). A única cena verdadeiramente burlesca foi a performance de “A Guy What Takes His Time” um clássico, onde Christina canta em cima de um piano, figurino de pérolas e plumas, com direito a semi-strip comédia. As covers de Etta James também são ótimas, mas o que realmente me fez arrepiar não foi nenhuma dessas cenas, mas sim quando Ali (Aguilera) está sonhando, se imaginado cantando um trecho de “Diamonds are a girl's Best Friend” da Diva Monroe. Foi a cena mais incrível para mim, Marilyn deve ter se revirado de emoção e alegria ao ouvir sua música cantada por uma verdadeira cantora e neste caso, coitada da Satine de Nicole Kidman. Pois bem crianças, eu poderia passar horas falado do filme, mas paro por aqui e por favor comentem, quero a opinião sincera de vocês sobre o filme. 

  
O resultado final aqui é: Assista ao filme! Tire vocês mesmos suas conclusões e o que há de bom no filme. O musical teria sido ainda mais um sucesso se Christina Aguilera e Cher tivessem feito um dueto e esse foi um dos pontos mais falhos do filme. Como eu disse, não sou crítica de cinema sou cinéfila e não sou cantora, mas uma pessoa que entende de música e também alguém que respeita a arte burlesca e seus artistas. Alguém que é fã da tão mal falada Christina Aguilera. Eu, uma pessoa comum e blogueira nas horas vagas.

Beijos!

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário

Muito obrigada pela sua visita, ela é muito importante! Comente e deixe seu link. Responderei assim que for possível ♥