Vintage Black Beauty: Aida Overton Walker, a rainha do Cakewalk

Foto: Reprodução

Bom dia Vintagers! Hoje apresento mais um post da coluna especial: Vintage Black Beauty, com uma das maiores estrelas do Vaudeville de sua época: Ainda Overton Walker, mais conhecida como "A Rainha do Cakewalk". Para quem não está muito familiarizado com o termo, ano passado eu escrevi uma matéria aqui mesmo no blog falando sobre esse tema. O Cakewalk foi um estilo de dança de origem africana criado como uma sátira e, ao mesmo tempo, uma forma de entretenimento durante o século XIX nos Estados Unidos. (Leia mais sobre a matéria aqui). Sendo uma dança comumente executada por escravos, ela acabou passando pelas gerações futuras e indo parar nos espetáculos de Vaudeville!

Nota: Eu sei que falo muito sobre o Vaudeville em alguns posts, mas ainda não expliquei de uma forma mais ampla. Logo mais teremos uma matéria sobre o tema. Aguardem!

Foto: Reprodução

 
Ainda conseguiu o papel principal feminino no palco, algo raro para uma mulher negra. - Foto: Reprodução

Aida Overton Waker nasceu no dia 14 de fevereiro de 1880 na cidade de Nova York. Ela foi uma perfomer de Vaudeville afro-americana casada com outro artista da cena de Vaudeville, George Walker. Ainda teve uma educação musical, e quando iniciou sua carreira muito cedo. Na adolescência já fazia parte do grupo  "Black Patti’s Troubadours". Pouco tempo depois, ela conheceu o seu então futuro marido, e logo passaram a se apresentar juntos com mais um parceiro de palco chamado Bert Williams. A fama de Aida logo começou a se expandir. Ela fez parte de diversos espetáculos, sendo um dos mais famosos o show "Sons of Ham", em que interpreta a "Miss Hannah from Savannah", traduzido ao pé da letra: "Senhorita Hannah de Savannah". O talento somado à beleza exótica fizeram com que Aida, juntamente com seus parceiros de palco, se tornassem famosos e respeitados entre os demais artistas do meio, e também com o público. Nos palcos, Aida popularizou o Cakewalk e acabou ganhando o título de rainha.


Aida e o marido foram uns dos poucos artistas negros autorizados a se apresentarem para um público branco e em teatros onde só artistas brancos se apresentavam. - Foto: Reprodução


Em 1903, Aida se apresento no palácio de Buckingham para o rei Eduardo VII. Essa performance fez com que ela se tornasse uma estrela internacional - Foto: Reprodução

Impondo sua própria Arte: Em 1910's a excentricidade e características das primeiras Femme Fatales Vamps do cinema estava em pleno auge, graças à atrizes como Theda Bara. Muitas dessas personagens que invadiram os primórdios do cinema, também eram executados por diversos artistas de Vaudeville, tanto brancos como negros. Em 1912 Aida criou sua própria versão de "Salomé", personagem que virou febre e mania até então. Ela fez questão de fugir do esteriótipo da personagem da época, ao executar uma performance e atuação totalmente diferente das "Salomés" interpretadas por artistas brancas. Ela se recusou a reproduzir as mesmas atuações, caras e bocas e figurinos. As emoções do personagem eram refletidos em Aida, de uma forma diferente.

Foto: Reprodução

 
Na foto da esquerda, Aida como Salomé! Foto: Reprodução!


Foto: Reprodução

Declínio e Legado: Depois que o marido de Aida ficou doente, ela passou a se apresentar como artista solo, e depois que ele veio a falecer em 1911, sua carreira caiu em declínio. Com tudo, ela ainda participou de outras peças de teatro, justamente interpretando Salomé, que citei acima. Performance da qual ganhou elogios. Ela faleceu em 11 de Outubro de 1914, aos 34 anos de idade. Até hoje, Aida é conhecida e aclamada por ter sido uma ativista em busca da liberdade de sua arte, de suas origens e de direitos das mulheres. Fonte: Algumas referências eu retirei desse post do buzzfeed. Espero que tenham gostado e até o próximo post da série!

Foto: Reprodução

Comente com o Facebook:

24 comentários

  1. Bem interessante este post.

    Com carinho,
    Fernanda Macena.

    http://ideepregaiblog.blogspot.com.br/
    @fer.macena ♥

    ResponderExcluir
  2. que incrível! como os negros hj já são invisíveis, imagine naquela época. muito bom ter fotos para mostrar. uma forma de registro para diminuir a invisibilidade. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Pedrita. Fico feliz que tenha gostado =)
      Beijos!

      Excluir
  3. Oi Pri,
    Eu já tinha visto fotos dela na net, mas não sabia quem era. Achei ela tão linda que já tinha salvo a foto no Pinterest. Adorei saber sobre ela.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela era linda, né?
      Fico feliz que tenha gostado, Betty ^^
      Beijos!

      Excluir
  4. Que lindo esse post! E ela era uma linda também! Fotos encantadoras! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado Amyh. Obrigada, Beijos <3

      Excluir
  5. Incrível post. Conhecia-a só de nome, mas gostei muito de saber mais de sua origem e legado :)
    boa semana :)

    Red Behavior

    ResponderExcluir
  6. ela é muito bonita , uma boa inspiração querida :D
    Kiss** | Blog da Jasmim

    ResponderExcluir
  7. Ainda não conhecia esse estilo de dança "cakewalk", gostei muito da história de Aida.
    bjuxx, boa semana

    Casa Cherry

    ResponderExcluir
  8. Adorei o post, não conhecia. Bjsss

    www.blogdatatah.com
    www.facebook.com/blogdatatah

    ResponderExcluir
  9. Que linda *-*, não conhecia ela, mas fiquei super feliz em saber sobre a interpretação de Salomé.

    E faça sim um post sobre Vaudeville <3, tenho certeza que será um excelente post, Pri.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode deixar Gabi! Já está na programação, só preciso de tempo para escrever xD rsrsrs Beijos!

      Excluir
  10. Noosssaa, não conhecia!!
    http://meuestiloe.blogspot.com.br/
    bjus

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela sua visita, ela é muito importante! Comente e deixe seu link. Responderei assim que for possível ♥